sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Terrorismo é um fenômeno global

Terrorismo é um fenômeno global

O terrorismo é um grande fenômeno polí¬tico global neste início do século XXI. Foi em resposta aos ataques de 11 de setembro de 2001, organizados pelo grupo fundamenta-lista islâmico Al Qaeda, de Osama bin Laden, que o presidente norte-americano, George W. Bush, iniciou a "guerra contra o terror".
Mas o que é o terrorismo? A resposta não é simples. Pode-se dizer que é o uso sistemáti¬co de violência para criar medo com objetivo político. A palavra pode ainda ser empregada como rótulo negativo contra inimigos. Israel, por exemplo, chama de terroristas diversos grupos palestinos, que respondem acusando o país de praticar terrorismo de Estado.
Historicamente, atos enquadrados como terroristas foram considerados heróicos, quando correspondiam a uma luta pela liber¬tação nacional. É o caso da Resistência Fran¬cesa, que lutou contra a ocupação nazista durante a II Guerra Mundial (1939-1945).
Uma coisa é certa: o grupo terrorista Al Qaeda consolidou o uso indiscriminado da violência, o que representa uma diferença
em relação ao terrorismo político praticado nas décadas de!970e1980 por grupos euro¬peus de extrema esquerda, como as Brigadas Vermelhas (Itália) e Baader-Meinhof (Alema¬nha), que atingiam civis e militares.
A rede Al Qaeda não faz distinção política, de nacionalidade nem de religião. Os atenta¬dos às torres gêmeas de Nova Yorke aos trens de Madri (2004) mataram cidadãos comuns de vários países, incluindo árabes.
Hoje é normal também, nos países oci¬dentais, associar terrorismo e fundamentalismo islâmico, como se os praticantes do islamismo fossem todos radicais. Na verdade, grupos fundamentalistas existem em todas as religiões. São aqueles que en¬xergam nos textos sagrados de sua crença a única orientação para diversos aspectos da vida, incluindo a organização do Estado e da sociedade. Essa posição recusa a de¬mocracia e se opõe à perspectiva adotada desde a Revolução Francesa (1789), quando os negócios de Estado pela primeira vez se separaram das convicções religiosas.

Para saber mais leia: atualidades vestibular 2009 – Ed. abril

Nenhum comentário:

Postar um comentário